EXCELENTE COMBINAÇÃO DESTES DROGAS PARA COMBATER A DOR DA FIBROMIALGIA

 

Um pesquisador canadense acha que descobriu uma. Ian Gilron é o Diretor de Pesquisa Clínica sobre Dor, Professor de Anestesiologia e Ciências Biomédicas e Faculdade no Centro de Estudos em Neurociência da Queen’s University em Kingston, Ontário, Canadá

Os resultados de um estudo sugerem que combinar a pregabalina (Lyrica), um medicamento anti-convulsivo, com duloxetina (Cymbalta), um antidepressivo, pode melhorar com segurança os desfechos na fibromialgia, incluindo não apenas o alívio da dor, mas também a função física e a qualidade de vida geral. . Até agora, essas drogas foram comprovadas, individualmente, para tratar a dor da fibromialgia.

“Evidências anteriores apoiam benefícios adicionais com algumas combinações de medicamentos na fibromialgia”, diz Gilron. “Estamos muito entusiasmados em apresentar a primeira evidência que demonstra a superioridade de uma combinação de duloxetina-pregabalina sobre qualquer uma das drogas sozinhas.”
A fibromialgia foi inicialmente considerada um distúrbio musculoesquelético. A pesquisa sugere agora que é um distúrbio do sistema nervoso central – o cérebro e a medula espinhal. Os pesquisadores acreditam que a fibromialgia amplifica as sensações dolorosas, afetando o nível e a atividade dos químicos cerebrais responsáveis ​​pelo processamento dos sinais de dor.

“A condição afeta cerca de 1,5% a 5% dos canadenses – mais do que o dobro de mulheres que homens. Pode ter uma devastação na vida dos pacientes e de suas famílias ”, explica o Dr. Gilron. “Os tratamentos atuais para a fibromialgia são ineficazes ou intoleráveis ​​para muitos pacientes”.

Este estudo é o mais recente de uma série de ensaios clínicos – financiados pelos Institutos Canadenses de Pesquisa em Saúde (CIHR) – que o Dr. Gilron e seus colegas conduziram em terapias combinadas para condições de dor crônica. Ao identificar e estudar combinações promissoras de drogas, sua pesquisa mostra como os médicos podem fazer o melhor uso dos tratamentos atuais disponíveis aos pacientes.

“O valor de tais abordagens de combinação é que eles tipicamente envolvem medicamentos que foram extensivamente estudados e são bem conhecidos pelos prestadores de cuidados de saúde”, diz o Dr. Gilron.

Esta nova pesquisa foi publicada na revista Pain.

O Dr. Gilron e sua equipe de pesquisa na Queen’s são membros da Rede SPOR sobre Dor Crônica. A rede nacional, financiada pela Estratégia do Canadá para Pesquisa Orientada ao Paciente, direciona novas pesquisas, treina pesquisadores e médicos, aumenta o acesso ao atendimento de pacientes com dor crônica e acelera a tradução da pesquisa mais recente para a prática.

Loading...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *